30.11.10

Queria ser como eles. Ou então, sou eu a querer que eles sejam como eu.
Somos mágicos, maravilhosamente e grandemente mágicos. Saímos de ovos de borracha, crescemos em bolhas de sabão e deixamo-nos picar por mil ferrões. Para além disto há sempre uma bolha que se aglutina à nossa. E sabe a beijo essa sensação.
É a minha sensação.
Vamos perdermo-nos no campo, quero muito!